segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Seu lugar no mundo, criança. PT.2

"O velho se sentou de um lado da fogueira e apontou uma almofada do outro lado do fogo para mim, a fogueira estava baixa e não produzia fumaça. O velho então me olhou no fundo dos olhos e pude notar que seu olho esquerdo era esbranquiçado e cego:
-Uma coisa que você deve entender meu filho, é que todo Garou é filho de Gaia,a grande mãe Terra, mas também somos ao mesmo tempo crianças de Luna e por isso ela nos da nossas devidas funções para lutarmos na guerra pela nossa mãe.
Ele havia começado a falar e andar ao meu redor enquanto lentamente ia trocando de forma, homem,semi-humano,meio-homem meio-lobo,semi-lobo,lobo, e voltando, eu podia notar com precisão as formas e como elas se modificavam:
-Agora o que nos falta...-Ele voltara seu lugar de origem, na forma de humano.-... é saber qual a sua função na nossa nação.- Então com um rápido movimento cujo ele não aparentava ser capaz de fazer, sua mão foi ao bolso de sua jaqueta e ele lançou um pó na fogueira.
As chamas estalaram e com um alto rugido se ergueram na sala quase tocando o teto, o fogo agora possuia um tom multicor e eu podia ver olhos prateados me espiando de dentro dele. Uma leve fumaça começou a subir da madeira, assumiu a forma de um pequeno lobo e ficou brincando em frente aos meus olhos enquanto girava ao redor do fogo, até que finalmente correu em minha direção e entrou no meu nariz.
A mistura de cheiros tanto bons quanto incomodos daquela fumaça me tontearam imediatamente, e eu só pude imaginar estar alucinando quando o velho homem do outro lado da fogueira desapareceu em um sorriso cheio de experiência e as paredes se afastaram se transformando em um vasto horizonte, agora o teto acima de mim era definitivamente uma cópia perfeita do céu brilhante, as estrelas brilhavam fortemente enquanto o a lua mudava de fase acima de mim, ao norte eu pude notar uma estrela vermelha e só de olha pra ela eu senti medo e fúria, como se ela fosse algo ruim que eu deveria combater.
Com uma rajada de vento passando pelas minhas orelhas eu pude notar quando a lua parou na sua fase Nova, as estrelas brilhavam com força e apenas escuridão pairava aonde tinha a lua antes. na escuridão no céu eu vi Cassid parado a minha frente com um enorme sorriso enquanto os outros olhavam irritados para ele, como se ele estivesse quebrando alguma regra mas eles nada podiam fazer.
Novamente uma rajada de vento cortou o ar e a lua mudou de fase para Crescente ou Minguante, apenas sei que ela brilhava fina no céu como um sorriso misterioso, sorriso que rapidamente se colocou eu velhos lábios no céu, eu podia ver o Velho atrás daqueles dentes tão misteriosos e experiente.
O vento começou a urra mais forte e a Meia-Lua se estabeleceu no céu, parte prata parte negra, e com um leve fio de luz mais forte separando os lados... então eu notei que a parte preta se tornava a jaqueta do motoqueiro baixinho e a parte prateada virava Rothgar, atras do motoqueiro eu me vi abaixado e com medo enquanto ele se levantava e gritava contra Rothgar fazendo ele se afastar de mim.
A lua então se modificou mais uma vez, ficando quase cheia ela estava Gibosa, mostrando quase toda a sua glória, lembrando de tudo o que eu ja tinha visto até ali mas também reservando um espaço escuro para as novidades do futuro, nesse momento nenhuma imagem se materializou mas sim um impulso em meu peito, então eu uivei, externando minha adoração pela lua, meu uivo subiu e virou uma linda canção para as estrelas e eu me senti melhor comigo mesmo.
Por ultimo ela assumiu um caráter Cheio, lembrava um olho prateado cheio de raiva, eu vi os olhos negros de Rothgar nesse brilho, olhos que brilhavam com fúria e vontade de matar.
E então o céu ficou parado, o horizonte se fechou e virou parede e o fogo se acalmou novamente, meu corpo caiu exausto, o velho me segurou antes de atingir o chão, olhei para ele, seu rosto calmo e cheio de experiência o rosto da lua sorridente e apenas uma palavra veio a minha mente, uma palavra que significava o que eu era, qual a minha posição:
-Galliard.- eu sussurrei e depois cai em sono profundo."
Quarta parte do conto completa espero que gostem, me senti bem inspirado no final.
Bjos meus pads, e comentem porra, Selama ashal’anore

Um comentário:

  1. caaaara que viagem de ácido muito doida *-* confesso: AMEI a parte da Lua, tenho muito carinho por ela. Muito mesmo. Achei bonito demais, bem poético! Comtinueeee! XDD amo lobos!

    ResponderExcluir