sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Back Bitches

Fiquei meio sumido confesso, mas é q eu tava ocupado com a minha não-vida(leia-se wow), mas hj tive uma idéia voltando da faculdade e resolvi escrever um conto novo, mas dessa vez eu vou escrever sobre uma coisa q eu entendo pra caralho então espero q as senhoritas gostem.
Bjundas meus pads e que as internets estejam com vcs

"Minha cabeça latejava como se eu tivesse bebido uma caixa inteira de vodka barata, um cheiro nauseante enchia o meu nariz, um frio percorre minha espinha e eu sei que por alguma razão eu estou nú sentado em um beco, pouco me lembro do que aconteceu para eu estar assim eu fui encurralado em um beco pelo o que parecia uma gangue de 5 marginais eles falavam coisas incompreensíveis sobre filhote perdido e como os espirais iam dar prêmios pra eles por me acharem, 4 deles eram bem normais apenas 1, o que parecia ser o lider, era bem diferente ele tinha uma queimadura na cara em forma de espiral e seu queixo era disforme, grande demais para o rosto dele, lembro deles avançando em minha direção e eu tentando fugir, não que eu seja fraco ou um covarde sempre fui o maior da minha turma e desde pequeno fora temido pelas outras crianças do orfanato por ser mais agressivo, mas porra eles eram 5 eu tive que tentar fugir, mas eles acabaram me acertando pelas costas então tudo ficou vermelho e agora aqui estava eu, em algum lugar com cheiro ruim, nú e com medo de abrir os olhos.
Eu conto até dez antes de abrir os olhos, quando eu o faço a cena que presencio me assusta mais ainda, eu estou envolto de tripas e corpos minhas mãos e minha boca estão cobertas de sangue minhas roupas rasgadas no chão, 5 corpos pra ser mais exato os 5 marginais de antes agora estão rasgados e triturados no chão o que aparentava ser o lider foi partido ao meio e sua mandibula se encontrava em um angulo de abertura que era tudo menos humano enquanto o que parecia ser uma lingua/tentaculo negro saia de sua boca, eu não sei o que aconteceu mas no fundo eu sei que fui eu que fiz isso, eu sei que eles não eram gente boa e eu sei que eu não estava só me protegendo algo na minha cabeça falava que era meu dever mata-los que se fosse necessário eu deveria arriscar minha vida pra destruir o maior numero possível deles.
Minhas divagações são interrompidas por um barulho de motor, uma moto entrava lentamente pelo beco o motorista rapidamente desliga o farol, um cara baixo(por volta de 1.65) salta da moto ele veste um colete de couro desses de motoqueiro mesmo e uma calça jeans rasgada fumando um charuto que exala o cheiro de ervas naturais e tabaco, ele encara o sangue e os corpos no chão e olha pra mim e então ele sorri joga o charuto no chão e começa a gargalhar, a sua naturalidade perante a cena me assusta, ele então fala:
-Porra garoto, eu tava atras desses putos a um tempo, principalmente esse corrompido ai no meio deles- ele fala e continua a me olhar reclamando com a mesma naturalidade com a que se costuma reclamar quando alguem batia o recorde do outro no pacman do orfanato.- Putz você não ta entendendo merda nenhuma do que eu to falando.-Ele rapidamente mexeu no baú da moto e arremessou uma bermuda e uma jaqueta jeans pra mim, depois que eu me vesti ele veio até mim e botou a mão no meu ombro, e começou a falar comigo mas ele não falava mais na minha lingua sua fala era uma mistura de palavras rústicas com rosnados,grunhidos e linguagem corporal... o pior é que eu entendia tudo meu cérebro traduzia em palavras cada rosnado e cada movimento.- Deixa eu adivinhar-falava ele no estranho idioma.- Você nunca se entendeu direito com sua familia, isso se você tiver uma, as crianças ao seu redor sempre tiveram medo de você e o excluíram por isso, você sempre sentiu como se fosse um lobo em pele de cordeiro... Bom isso é porque você literalmente é isso, você é um Garou, você é a garra de Gaia, um soldado na guerra contra a Wyrm, soldado não porque soldados apenas seguem ordens, você é um guerreiro você luta por uma causa, não só uma causa mas sim pela sua Mãe e por nós seus irmãos assim como nós lutamos por você, mas isso quem pode te explicar melhor não sou eu.- Ele foi andando na direção da moto e subiu, na minha cabeça eu não sei se foi por ele ter falado naquela lingua estranha ou por qualquer outro motivo, eu sabia que tudo aquilo era verdade, então eu o segui e subi na moto também."
Fim da primeira parte, vamo ver se nessa merda eu dou continuidade

Um comentário: